Literacia para a Saúde

A melhoria dos níveis de Literacia em Saúde, a promoção do espírito crítico das pessoas face às suas decisões de saúde e as ferramentas disponíveis para este fim, apresentam-se como um desafio da Saúde Pública em Portugal.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) define Literacia em Saúde como o conjunto de “competências cognitivas e sociais e a capacidade da pessoa para aceder, compreender e utilizar informação por forma a promover e a manter uma boa saúde”. A Literacia em Saúde implica o conhecimento, a motivação e as competências das pessoas para aceder, compreender, avaliar e aplicar informação em saúde de forma a formar juízos e tomar decisões no quotidiano sobre cuidados de saúde, prevenção de doenças e promoção da saúde, mantendo ou melhorando a sua qualidade de vida durante todo o ciclo de vida. A promoção da Literacia em Saúde, junto das pessoas, das comunidades, e das organizações, constitui-se como uma importante oportunidade e desafio da Saúde Pública.

(in PLANO DE AÇÃO | LITERACIA EM SAÚDE – PORTUGAL 2019-2021)

Dando continuidade, o III Seminário (Inter)Nacional em Literacia para a Saúde, pretende constituir-se a par de outros contextos e áreas de intervenção, um espaço de discussão e partilha em torno da temática e em diferentes settings, na medida em que todos sabemos que a literacia em saúde condiciona a forma como cada um de nós é capaz de tomar decisões acertadas sobre saúde.
Uma baixa Literacia em Saúde pode dar origem, por exemplo, a um maior número de internamentos e a uma utilização mais frequente de serviços de urgência e, também, a uma menor prevalência de atitudes individuais e familiares preventivas no campo da saúde.

Informação sobre os ODS:

Para a concretização da Agenda 2030 sobre os Objetivos para o Desenvolvimento Sustentável, é imperativo a integração dos pressupostos inerentes a este objetivo, nomeadamente influenciar as tomadas de decisão e contribuir com o seu poder de inovação para um futuro mais sustentável e inclusivo.

Neste sentido, destacamos: